top of page

Adobe e o efeito "caixa de pandora" com IA?



Os funcionários da Adobe estão preocupados que a empresa esteja "canibalizando" seus próprios interesses, capacitando a inteligência artificial e cortando todas as etapas manuais que os criativos profissionais são contratados para fazer. Isso de acordo com conversas internas divulgadas pelo Insider. Lembrando que os produtos Adobe atendem fotógrafos, editores, designer, etc.


A “caixa de Pandora” é uma metáfora usada para caracterizar ações que, menosprezando o princípio de precaução, desencadeiam consequências maléficas, terríveis e irreversíveis.

Com a introdução do Firefly, seu poderoso sistema de IA generativa "ético" que permitiu aos usuários do Photoshop e do Illustrator editar e expandir imagens com prompts de texto simples, bem como produzir instantaneamente esquemas de cores, a gigante da tecnologia criativa desfrutou de um de seus períodos fiscais mais lucrativos.





Contudo, alguns funcionários levantaram preocupações de que esses recursos poderiam tornar obsoletos os trabalhos dos clientes existentes da Adobe e incentivar as empresas a reduzir suas equipes de design gráfico. Membros de um canal interno do Slack classificaram esses avanços da IA como "deprimentes" e lamentam estar em uma "crise existencial", de acordo com o relatório.

Um designer sênior aponta que esse medo já se tornou uma realidade, mesmo enquanto o Firefly permanece em beta. Eles citam uma empresa de publicidade que começou a reduzir seu departamento de design depois de observar os recursos que o Firefly traz para o Photoshop.

Com isso, nem todos os trabalhadores compartilham o mesmo nível de cinismo, com alguns defendendo que a IA melhorará vidas ao acelerar e melhorar os fluxos de trabalho dos designers, de acordo com o Insider.





Uma das queixas mais barulhentas é como a Adobe pode estar prejudicando seus próprios lucros quando amplifica ainda mais a automação da criação e edição de arte. Dentro da empresa, os funcionários têm questionado que, se os assinantes de longa data da empresa não tiverem mais seus trabalhos, quem vai assinar e comprar os produtos e serviços Adobe?

Os funcionários expressaram preocupações de que a Adobe possa estar "em risco de canibalizar" seus ganhos com menos membros para assinar a Creative Cloud.

Ao mesmo tempo, os funcionários ressaltam que, se as vendas da Adobe caírem como resultado do deslocamento de emprego, a empresa pode começar a demitir sua própria força de trabalho para cortar custos também.

Scott Belsky, diretor de produtos da Adobe, no entanto, tem um argumento diferente. "A IA aumentará a área que os criativos podem considerar e explorar antes de encontrar soluções ainda melhores para perseguir e iterar", disse ele a Sharon Goldman, da VentureBeat, na rede social X (antigo Twitter). "Vemos isso nas primeiras pesquisas sobre como os profissionais criativos aproveitam essas novas ferramentas: eles criarão mais e melhor conteúdo... Rápido. Não menos."




Evitando previsões sombrias de uma demanda cada vez menor por criativos humanos, Belsky acrescenta que quando "qualquer empresa ambiciosa ou orientada para o crescimento pode obter mais 'produtividade por pessoa', eles querem mais pessoas (para que possam fazer mais produtos, criar mais conteúdo, alcançar mais)". Ele afirma: "É um desejo humano padrão".


Eu não sei se concordo com isso. E vamos confessar, ninguém sabe exatamente o que vai acontecer. Mas recentemente portais de notícias cortaram jornalistas para substituírem esses profissionais por CHATGPT.


O fato é que essa é provavelmente uma das maiores transformações tecnológicas da sociedade. No mesmo patamar da chegada e ampliação da internet, dos smartphones. Resta saber como isso vai afetar a fotografia profissional.




Faça parte da nova fase de valor da fotografia. Entre para o NFoTo >>> NFoTo: fotograf.IA, NFT e inovação


Com informações Insider

0 comentário

ความคิดเห็น


bottom of page