top of page

Programa piloto da Canon, Reuters e Starling Lab visa certificar a autenticidade fotográfica

O projeto colaborativo busca incutir confiança desde o momento em que uma foto é tirada até sua publicação final, garantindo que o público consumidor de notícias possa distinguir entre conteúdo genuíno e manipulado


A Thomson Reuters, a Canon e a Starling Lab concluíram com sucesso um programa piloto destinado a certificar a autenticidade de imagens digitais, a fim de reforçar a integridade do fotojornalismo e aliviar as preocupações públicas sobre notícias falsas. Esse esforço conjunto visa incorporar confiança desde o momento em que uma foto é tirada até sua publicação final, garantindo que o público consumidor de notícias possa distinguir entre conteúdo genuíno e manipulado.


A Reuters integrou uma estrutura tecnológica da Starling Lab para autenticar e preservar os metadados de cada imagem dentro de seu fluxo de trabalho de mesa de imagens. A Starling Lab é uma entidade de pesquisa acadêmica sediada em Stanford e USC, conhecida por sua inovação em métodos criptográficos e protocolos web descentralizados.


Rickey Rogers, editor global de imagens da Reuters, expressou que a confiança nas notícias é primordial, especialmente no cenário atual em que os avanços tecnológicos facilitam a manipulação de imagens. “A confiança nas notícias é crítica. No entanto, os recentes avanços tecnológicos na geração e manipulação de imagens estão fazendo com que mais pessoas questionem o que é real e o que não é. A Reuters continua a explorar novas tecnologias para garantir que o conteúdo que entregamos ao mundo seja factual e confiável”, disse Rogers.




“Nossa colaboração com a Canon demonstra o potencial da nova tecnologia na verificação de imagens para aumentar a confiança dos consumidores no que eles veem. Estamos ansiosos para compartilhar as descobertas encorajadoras do projeto com nossos clientes e aplicá-las para proteger nosso fotojornalismo. Nosso objetivo é permanecer uma das fontes globais de notícias mais confiáveis.”


A Canon forneceu câmeras protótipo para o piloto, que incorporam um identificador único em cada foto, juntamente com os dados de hora, data e localização. Esse valor de hash exclusivo é assinado criptograficamente para estabelecer uma base de confiança para cada fotografia. Posteriormente, as imagens são registradas em um blockchain público, que é atualizado com cada modificação feita pela mesa de imagens da Reuters. Isso garante um registro transparente e rastreável desde o momento em que a foto é tirada até sua distribuição final. Para confirmar a autenticidade de uma imagem, os espectadores podem simplesmente cruzar seu valor de hash exclusivo no livro-razão do blockchain público. A fotojornalista da Reuters Violeta Santos Moura testou a câmera protótipo da Canon para este esquema piloto.




Richard Shepherd, gerente sênior de marketing de produto e estratégia de marketing da Canon Europe, observou que a Canon faz parte da Iniciativa de Autenticidade de Conteúdo (CAI) e está comprometida em preservar a integridade das imagens jornalísticas. “Entendemos o papel que as imagens desempenham na sociedade e reconhecemos a importância de preservar a autenticidade das imagens”, disse Shepherd.


O piloto representa uma das primeiras aplicações práticas da tecnologia blockchain e criptográfica na coleta de notícias. Sua execução oportuna coincide com o crescente ceticismo do consumidor sobre a credibilidade das notícias online, alimentado pelos avanços nas tecnologias de IA gerativas que podem facilmente criar ou alterar conteúdo visual. À medida que a colaboração entre Reuters, Canon e Starling Lab avança, as descobertas deste projeto piloto prometem ter amplas implicações para a indústria de notícias e a confiança pública. Saiba mais >>> Preservar a confiança no fotojornalismo através da tecnologia de autenticação | Reuters (reutersagency.com)


Entre para a nova fase de valor da fotografia. Faça parte do NFoTo >>> NFoTo: fotograf.IA, NFT e inovação


0 comentário

Comments


bottom of page