top of page

O Studio Jackson Pollock lança coleção de NFTs

O Studio Jackson Pollock, lar e museu do famoso pintor do século XX, está lançando uma coleção de tokens não fungíveis (NFT) - digitalizando e revitalizando a obra de arte de Pollock agora em versão tokenizada, figital e na blockchain




Em colaboração com o coletivo de arte Web3 Iconic Moments, a coleção “Beyond the Edge” apresenta quatro perspectivas do chão do estúdio de Pollock, onde ele respingava e gotejava tinta em seu estilo icônico. A obra apresenta elementos de suas pinturas, incluindo “Number 3”, “Blue Poles” e “Convergence”, que atualmente residem em museus em todo o mundo.


Quem foi Jackson Pollock - Paul Jackson Pollock (1912-1956), ficou conhecido profissionalmente como Jackson Pollock, foi um pintor norte-americano e referência no movimento do expressionismo abstrato. Tornou-se conhecido por seu estilo único de pintura por gotejamento.


A coleção apresenta 100 obras de arte digitais, que são vendidas com uma impressão física correspondente. Além disso, a coleção incluirá uma série Beyond the Edge de 100 Ordinais (NFTs baseados em Bitcoin), interpretações de Pollock de artistas NFT e uma experiência gamificada onde os jogadores podem completar um quebra-cabeça Web3 e trivia Pollock para ganhar uma obra de arte digital e impressão. Ou seja, segue uma tendência do físico + digital combinando NFTs e impressões físicas.





Helen A. Harrison, diretora da Pollock-Krasner House and Study Center disse em um comunicado à imprensa que “Beyond the Edge” ajuda a dar nova vida ao trabalho de Pollock dando-lhe uma nova casa na cadeia.


“Parte da interpretação envolve incentivar o uso de nossos artefatos para inspirar a criatividade. Isso mantém o espaço vivo”, disse Harrison. “Queremos que as pessoas entendam que a história da arte não é preservada e estática; ela é preservada e viva.”

Além disso, o foco da coleção no chão do estúdio de Pollock destaca o dinamismo do processo de Pollock e aproxima os compradores do artista.





“Normalmente, o que está no chão da maioria dos estúdios de artistas não tem uma relação direta com o que está na tela”, disse Harrison. “Mas o derramamento no chão de Pollock é análogo aos gestos em suas telas. Você pode relacionar seu processo diretamente ao produto.”





À medida que os NFTs começaram a encontrar um lar no mundo da arte tradicional, artistas tradicionais começaram a abraçar o Web3 como uma forma de expandir o alcance de seu trabalho e se conectar com seus colecionadores. Em julho de 2021, o artista Damien Hirst lançou “The Currency”, uma coleção de pinturas spot NFT que deu aos colecionadores um ano para decidir se queimariam as obras de arte digitais ou físicas. Em março de 2022, o escultor Jeff Koons entrou no mundo dos NFTs com uma coleção inspirada no meme “to the moon” da criptografia - com planos de literalmente voar um NFT para a lua.


Se quiser entender e participar desta nova fase da fotografia conheça o NFoTo. Trata-se de uma comunidade com quase 100 membros e 50 horas de conteúdo até aqui que se conecta com as questões como essa da IA e inovação no mundo da fotografia. Faça parte clicando aqui >>> NFoTo: fotograf.IA, NFT e inovação







0 comentário

コメント


bottom of page