top of page

Como a IA vai mudar o futuro do trabalho na Europa: estudo revela as expectativas e desafios

A pesquisa realizada pelo LinkedIn mostra que quase metade dos trabalhadores europeus espera que a IA tenha um grande impacto nos seus empregos no próximo ano, mas muitos sentem-se despreparados e ansiosos



A inteligência artificial (IA) está cada vez mais presente no nosso dia a dia, seja nas redes sociais, nos serviços de streaming, nos assistentes virtuais ou nos carros autônomos. Mas como será o seu impacto no mundo do trabalho? Será que a IA vai substituir os humanos ou complementar as suas capacidades? Será que os trabalhadores estão preparados para lidar com as mudanças que a IA vai trazer?


Para responder a estas questões, o LinkedIn, a maior rede social profissional do mundo, realizou um inquérito com mais de 10.000 trabalhadores com mais de 18 anos em seis países europeus: Reino Unido, França, Alemanha, Espanha, Países Baixos e Itália. O objetivo era conhecer as atitudes dos trabalhadores em relação à IA e como veem o seu futuro profissional.


Os resultados mostram que a maioria dos trabalhadores europeus está consciente do papel crescente da IA no local de trabalho e espera que ela tenha um impacto significativo nos seus empregos no próximo ano. Cerca de 45% dos inquiridos previram que a IA irá causar uma mudança “significativa” nos seus empregos no próximo ano, enquanto que apenas 12% disseram que não esperam nenhuma mudança.





No entanto, nem todos se sentem confiantes e preparados para enfrentar este desafio. Mais de um terço dos inquiridos disse sentir-se sobrecarregado e preocupado por não conseguir acompanhar os desenvolvimentos nos seus locais de trabalho. Além disso, 59% dos inquiridos afirmaram que não recebem atualmente qualquer formação formal por parte da sua entidade patronal para lidar com a IA.


Por outro lado, há também uma atitude positiva e proativa em relação à aprendizagem da IA. Cerca de metade dos inquiridos disse querer aprender mais sobre a IA e como usá-la no seu trabalho. De facto, o LinkedIn registou um aumento significativo nas conversas sobre a IA na sua plataforma, com muitos membros a adicionarem competências de IA aos seus perfis.


Charlotte Davies, especialista em carreiras do LinkedIn, comentou os resultados do inquérito: “Depois da pandemia, mais uma vez, os profissionais adaptam-se a uma onda de mudança, à medida que a IA se torna mais proeminente no local de trabalho. Embora seja compreensível que acompanhar os últimos desenvolvimentos possa parecer avassalador, é positivo ver tantas pessoas a abraçar as mudanças e a trabalhar para aprender a aproveitar a tecnologia”.





Davies também destacou o valor das competências transversais para o futuro do trabalho: “Os nossos dados também destacam o enorme valor das competências transversais e a sua importância para o futuro, à medida que continuamos a navegar nesta nova tecnologia e na mudança que ela traz”. Segundo o inquérito, metade dos profissionais inquiridos considera que competências como a resolução de problemas, a gestão do tempo e o pensamento estratégico vão tornar-se mais importantes.


A IA também vai afetar os profissionais da fotografia

O estudo do LinkedIn focou-se nas atitudes dos trabalhadores em relação à IA em geral, mas há áreas específicas que podem ser mais afetadas do que outras pela evolução da tecnologia. Uma delas é a fotografia.


A fotografia é uma forma de arte e de expressão que depende muito da criatividade e da sensibilidade do fotógrafo. No entanto, com o avanço da IA, há ferramentas capazes de gerar imagens realistas ou artísticas a partir de textos ou de outras imagens. Por exemplo, o Midjourney é uma ferramenta de IA que permite criar imagens de paisagens a partir de descrições escritas. O DALL-E 2 é outra ferramenta de IA que pode criar imagens surreais a partir de combinações de palavras.





Estas ferramentas podem ser vistas como uma ameaça ou como uma oportunidade para os profissionais da fotografia. Por um lado, podem reduzir a necessidade de contratar fotógrafos para certos trabalhos ou diminuir o valor do seu trabalho. Por outro lado, podem ser usadas como fontes de inspiração ou como meios de experimentação e inovação.

O que é certo é que os profissionais da fotografia não podem ignorar o impacto da IA no seu campo e devem estar preparados para adaptação e atualização. Assim como os trabalhadores em geral, os fotógrafos devem procurar aprender mais sobre a IA e como usá-la a seu favor, sem perder a sua identidade e originalidade.


Se você é um profissional da fotografia ou tem interesse pelo tema, não perca a apresentação especial “A nova era da fotograf.IA”, que irá acontecer na próxima terça no dia 3 de outubro às 19:30 online e ao vivo. Nesta apresentação, você vai conhecer as principais tendências e desafios da IA na fotografia, ver exemplos práticos de como usar as ferramentas de IA para criar imagens incríveis e aprender dicas para se destacar no mercado. Saiba mais aqui >>> Aprenda a usar a inteligência artificial na fotografia com Fotograf.IA e tenha vantagens exclusivas (enfbyleosaldanha.com)

0 comentário

Comments


bottom of page