top of page

Amazing Visual Stories, One Click at a Time by Ivan Berger

Inspired by cinematography, Ivan Berger, an awarded fashion and fine art photographer from São Paulo, creates images with an eye for the most precious moments


Leo Saldanha created original NFoTo content





Berger, who was born in 1966, has a wealth of experience. He is accustomed to working with massive photo productions to produce the greatest click for well-known Brazilian brands in photography advertising. In this regard, he is accustomed to photographing celebrities for magazine covers and other publications. A very skilled and seasoned expert who is currently the owner of one of São Paulo's greatest photo studios. In terms of art, he was given the 2013 award for "Super Heróis Urbanos." Berger enjoys taking pictures of people and the outdoors. The potential for representing individuals, though, is what really excites him. The interesting subject of Gods and Entities in many civilizations is the focus of one of his most recent personal projects, which is currently in full development. And now he has moved on to a new stage where he uses blockchain photography to share his creativity with the world.


He produced the work Submerged for NFoTo 1/1. Submerged | Foundation

Check it out the photographer's interview and be sure to follow him on Twitter: (1) Ivan Berger (@IvanBerger10) / Twitter


NFoTo: When did you begin taking pictures?


Ivan Berger - Ever since I was a young child, my father has had an impact on me. He was a hobbyist photographer who, in addition to using equipment, enjoyed experimenting with chemicals and modifying magnifiers in the darkroom.


I started making a living photographing models when I was 17 years old and purchased my first professional camera, a Nikon FM2. At the time, I was starting college (Advertising) and working as a model in an agency.


I founded my studio in 2006 and made the decision to just make a living from photography. I began modeling for well-known brands, progressed to hundreds of magazine editorials and covers, and now I work 90% of the time for advertising agencies.


NFoTo - How is your creation process going?


Ivan Berger - Even though movies have always been my inspiration since we can express an emotion with 24 frames per second, what fascinates and inspires me most about photography is the ability to tell a tale with just one c


hance of success and to communicate a creative idea via the narrative of the image.


I take pictures of a range of themes, including street and landscapes, but what I truly enjoy is directing people to achieve the best performance possible from actors, models, and everyday people for my subjects.



NFoTo - How did you create this one-of-a-kind photo?


Ivan Berger - The drifting boat in this image from Perequê, a fishing community in Guarujá, SP, would not have inspired me to take the pict


ure by itself, but when I saw the tide rising and the papers floating, it had already sent me to the theater, constructing an image and symbolic project with an argument that is a product of the imagination and thought.





NFoTo – How do the most intimate fine art and business photographs in your body of work compare?


Ivan Berger - In personal projects, we are completely free to create, constructing a poetic image that inspires thought, as opposed to commercial photography, where we are merely a tool in a lengthy creative process that has already passed between the client and the advertising agency. When it comes to us, we are required to follow a layout that has already been approved by a large number of people, and the best we can hope for is to offer an alternative that reflects our interpretation of everything that has already been approved.





NFoTo - You've already received several awards for your work, and you're now moving into a new stage of NFT photography. What advantages do you think this technology has?


Ivan Berger - I came to the conclusion that a number of international accolades and publications in NFT do not seem to be particularly pertinent; rather, in this cutting-edge field, relationships in communities and targeted marketing are more significant than technical proficiency, apparatus, or professional standing.






NFoTo - What do you find to be the most difficult when trying to produce excellent images?


Ivan Berger - There are a lot of amazing works by photographers, but for me, the hardest part is to be original and not just copy what is successful. This restlessness in telling a story frequently causes me to lose sleep because I tend to do it at night or while I'm driving. As I try to take pictures of people, places, objects, and systems, there is a cost that I have to manage between ideal and reality



NFoTo - What do you anticipate for your future artistic endeavors?


Ivan Berger - Since 2013, when I organized the "Super Heróis Urbanos" exhibition and won several prizes, I haven't created anything artistic. That project was an attempt to demonstrate to the Art and Creative Directors that it is possible to create "real" images without the use of Photoshop or other editing software. It consisted of a series of 17 photos.


The NFT sparked in me the desire to create images without concern for the process of creation, but with the best outcome to ensure that the work has an argument and language, causes people's emotions, and raises their awareness. I made the decision to produce a series of images with a current theme where it can engage and participate socially by donating a portion of sales, exhibiting with businesses that support environmental causes, and talking about Gods and Entities protesting agriculture in the works.


In two months, I created Poseidon x pet bottles, Iemanjá x predatory fishing, Tupã x forest fires, Oxum x freshwater, and Zeus x air pollution. I want to do ten pieces before seeking a partnership with Ambipar, Natura, Petrobras, etc.



"Zeus" and Ivan Berger on the backstage at the studio


NFoTo - Who or what is your artistic inspiration for photography?


Ivan Berger - Federico Fellini's quote, "with a main light and a back light, I make cinema," which was featured in an exhibition at Conj Nacional approximately 20 years ago, had a profound impact on my lighting technique. I never forgot it and it has since served as a touchstone throughout my professional life.


Check it out all his work: Ivan Berger (@ivanberger) | Foundation





Portuguese version - Versão em português




Ivan Berger: histórias visuais marcantes um clique de cada vez


Ivan Berger (1966) é de São Paulo e com atuação vasta na fotografia. Na publicidade está acostumado a lidar com megaproduções para gerar o melhor clique para grandes marcas brasileiras. Acostumado a clicar celebridades e a ter suas imagens em capas de revista e afins. Um profissional completo que conta com um dos melhores estúdios fotográficos de grande porte de São Paulo. Na arte foi premiado com a obra “Super Heróis Urbanos” de 2013. Berger aprecia fotografar a rua, paisagens. Embora o que o fascine mesmo é a possibilidade de retratar pessoas. Uma das suas séries autorais mais recentes que está em plena produção neste momento com a temática fascinante dos Deuses e Entidades em diferentes culturas. E agora ele entrou em nova fase mostrando sua arte para o mundo usando a fotografia blockchain.


Para o NFoTo 1/1 ele criou a obra Submerged - Submerged | Foundation


Confira a entrevista com o fotógrafo e aproveite para segui-lo no Instagram:


NFoTo - Como começou na fotografia?


Ivan Berger - Desde de criança fui influenciado pelo meu pai, fotógrafo hobista que além dos equipamentos de captura se divertia com revelações em química e ampliadores adaptados no banheiro escuro.


Aos 17 comprei minha primeira câmera profissional, Nikon FM2, na época iniciava na Faculdade de Publicidade e trabalhava como modelo em uma agência, foi quando iniciei trabalhos remunerados fazendo books das modelos.


Em 2006 abri meu estúdio e decidi viver somente da fotografia, iniciei fazendo moda para grandes marcas, posteriormente fiz centenas de capas de revistas e editoriais e hoje faço 90% de meu trabalho para agências de publicidade.


NFoTo - Como é seu processo de criação?


Ivan Berger - O que mais me fascina e motiva na fotografia é contar uma história com apenas uma chance de sucesso, passar uma idéia criativa através da narrativa da imagem, apesar de minha inspiração sempre foi o cinema, nele temos como transmitir uma emoção através de 24 FPS.


Faço fotografia de vários temas, street, landscape, mas o que realmente gosto é a direção de pessoas, extrair ao máximo de atores, modelos e pessoas normais o que busco em minha temática.



NFoTo - Como criou essa foto do NFoTo 1/1?


Ivan Berger - Nesta foto feita no Perequê uma vila de pescadores no Guarujá – SP, o barco a deriva por si só não me motivaria ao click, mas quando percebi a maré subindo e os papéis boiando já me remeteu ao cinema, construir uma imagem e projeto simbólico com um argumento que faz parte do imaginário e pensamento.


NFoTo - Qual a semelhança entre as fotos mais autorais e comerciais em relação ao seu trabalho?


Ivan Berger - Nas fotos autorais temos total liberdade de criação, construir uma imagem poética que cause reflexão já nas fotos comerciais somos apenas uma ferramenta de todo um processo criativo que já caminhou entre cliente e agência de publicidade, quando chega até nós temos que cumprir o layout já aprovado por dezenas de pessoas, o máximo que conseguimos fazer é uma opção de nossa interpretação de tudo o que já havia sido aprovado. Nas fotos autorais temos total liberdade de criação, construir uma imagem poética que cause reflexão já nas fotos comerciais somos apenas uma ferramenta de todo um processo criativo que já caminhou entre cliente e agência de publicidade, quando chega até nós temos que cumprir o layout já aprovado por dezenas de pessoas, o máximo que conseguimos fazer é uma opção de nossa interpretação de tudo o que já havia sido aprovado. Nas fotos autorais temos total liberdade de criação, construir uma imagem poética que cause reflexão já nas fotos comerciais somos apenas uma ferramenta de todo um processo criativo que já caminhou entre cliente e agência de publicidade, quando chega até nós temos que cumprir o layout já aprovado por dezenas de pessoas, o máximo que conseguimos fazer é uma opção de nossa interpretação de tudo o que já havia sido aprovado.


NFoTo - Você já teve várias fotos premiadas e agora em nova fase na fotografia NFT. O que viu de valor nesta tecnologia?


Ivan Berger - Percebi que diversos prêmios internacionais e publicações em livros para os iniciantes na NFT não parecem ter grande relevância, nesta nova tecnologia o relacionamento nas comunidades e MKT direcionado tem maior importância do que a qualidade técnica, equipamento ou carreira.


NFoTo - O que é mais desafiador na hora de clicar?


Ivan Berger - Existem muitos trabalhos fantásticos de fotógrafos, o mais desafiador para mim é ser criativo e não apenas copiar algo que está dando certo, esta inquietude em contar uma história me faz perder o sono muitas vezes pois costuma criar minhas narrativas á noite ou dirigindo em estradas, como procuro fazer fotos com pessoas, locações, objetos, sistema, existe um custo que tenho que administrar entre o ideal e realidade, ai sim vem o desafio em fazer minha ideia de forma sustentável financeiramente com qualidade.


O que espera para seu trabalho autoral daqui para frente?


Ivan Berger - Não faço nada autoral desde 2013, quando fiz a exposição “Super Heróis Urbanos” e ganhei vários prêmios mostrando uma séria de 17 fotos onde não

uso sistema nem crop nas imagens, foi uma forma de mostrar aos Dir de Arte e Criativos que é possível fazer uma imagem “raiz” sem Photoshop, fusões etc.


O NFT me despertou a necessidade de construir imagens sem me importar com a forma de construção e sim com o melhor resultado para que a obra tenha um argumento e linguagem, cause emoção e conscientização das pessoas, resolvi criar uma série de imagens com um tema atual onde consiga engajamento e ao mesmo tempo participar socialmente com doação de parte das vendas, fazer exposição junto a empresas engajadas com a causa Ecológica, as obras falam sobre Deuses e Entidades protestando contra crimes ambientais e causas ecológicas.


Em 2 meses produzi o Poseidon x garrafas pet, Iemanjá x pesca predatória, Tupã x queimadas em florestas, Oxum águas doces, Zeus x poluição ar, pretendo criar 10 situações antes de oferecer uma parceria com a Ambipar, Natura, Petrobras, etc.

NFoTo - Qual sua referência na arte para a fotografia?


Ivan Berger - Meu estilo de luz tem total influência de uma frase do Diretor Federico Fellini, numa exposição no Conj Nacional há cerca de 20 anos atrás, havia uma frase dele que dizia “com uma luz principal e uma luz contra, faço cinema”, nunca me esqueci e se tornou uma referência em minha carreira.




Mostre sua obra para o mundo com NFoTo 1/1


0 comentário

Comments


bottom of page