top of page

Paris Fashion Week: visitantes viram modelos virtuais com realidade aumentada em foto cabines

Estações de realidade aumentada da Fabrix e DressX permitem que os participantes da Paris Fashion Week experimentem estilos de designers, adicionando um elemento interativo



Com informações de Scene


Nesta temporada, a Paris Fashion Week está assumindo uma nova dimensão virtual. Além de participar dos desfiles e apresentações físicos do evento, os convidados podem agora experimentar versões digitais dos looks de designers por meio de quiosques de realidade aumentada (AR) no showroom Sphere no Palais de Tokyo da cidade.


Os quiosques em verde neon possuem espelhos AR de corpo inteiro. Usando uma tela sensível ao toque integrada, os visitantes podem selecionar e experimentar looks de uma seleção de jovens designers badalados - incluindo Chet Lo, vencedor do Andam Fashion Award Louis Gabriel Nouchi, Harri (um favorito do músico Sam Smith) e Celine Kwan (que personalizou peças para Lizzo).


Depois de tirar uma foto, os visitantes podem estilizá-las com adesivos virtuais e baixá-las para seus smartphones via QR code, ou imprimi-las como se fosse em uma cabine fotográfica. Eles também podem comprar roupas digitais por meio do mercado DressX.

A ativação, uma parceria entre a plataforma de moda curada com sede em Hong Kong Fabrix e o metacloset digital DressX, é uma ideia da fundadora da Fabrix, Shin Wong.




“É muito Hong Kong”, ela disse ao Scene, explicando que a ideia do quiosque é derivada das cabines japonesas de selfies com adesivos que são integrantes da cultura asiática mais ampla. “Elas são muito sofisticadas, com centenas de temas diferentes; os adolescentes vão lá com seus amigos e tiram selfies que podem [postar nas redes sociais] ou imprimir como adesivos.” Ela vê a ativação também como um “evento cultural”, observando que é importante ver a moda dentro de uma paisagem cultural mais ampla.




Fabrix é a plataforma apoiada pelo governo de Hong Kong que Wong concebeu em 2020 em colaboração com o centro comunitário de design PMQ. Ela foi lançada durante a pandemia Covid-19 para ajudar designers locais como Kwan a promover seus negócios quando não podiam viajar, e desde então se expandiu para incluir talentos emergentes da moda global.





“Eu ainda vejo o corpo físico do trabalho como muito importante, e não acho que isso possa ser substituído ou tirado”, disse ela. “No entanto, acho que usar a tecnologia digital como uma ferramenta para melhorar sua narrativa pode ajudar a gerar vendas.” Para designers emergentes especialmente, ela acredita que os dados fornecidos por essas ativações AR também podem ajudá-los a entender quais peças serão as mais populares, permitindo que eles tomem decisões mais informadas sobre cores e quantidades.





“Acho que é uma ferramenta muito eficiente para os designers utilizarem”, disse Wong.

O próprio histórico de Wong é o mundo da arte - ela é curadora-chefe do Hong Kong Design Festival há cerca de 10 anos - e ela aborda a Fabrix de maneira semelhante. Ela trabalha com a FHCM francesa (Federação da Alta Costura e da Moda) e o BFC britânico (Conselho Britânico de Moda), cujo julgamento ela sabe que pode confiar quando se trata de selecionar uma forte curadoria de candidatos.






A iniciativa AR, que foi lançada no ano passado em Hong Kong, realizou uma ativação durante a London Fashion Week na Selfridges no início deste mês. Tanto nas edições de Londres quanto de Paris, os visitantes puderam experimentar roupas e acessórios virtuais de todo o elenco global. Peças de designers da Paris Fashion Week como Ponder.er (Alex Po e Derek Cheng), Florentina Leitner e o já mencionado Nouchi incluíam uma jaqueta jeans franzida, óculos de sol, macacões e uma regata. Leitner apresentou sua coleção na terça-feira anterior no espaço adjacente da passarela do Palais de Tokyo.


A tendência "figital" não para de avançar. A junção entre real (foto impressa) em um evento dedicado, com direito a arquivo digital para compartilhar e ainda ter itens digitais colecionáveis junto comprova isso.


Faça parte da nova fase de valor da fotografia. Entre para o NFoTo e explora as novidades possibilidades do mundo da imagem. Saiba mais e participe clicando aqui >>> NFoTo: fotograf.IA, NFT e inovação



0 comentário

Comments


bottom of page