top of page

Os indícios de que o NFT avança para se tornar um padrão

As notícias e movimentos de mercado deixam evidente que os NFTs avançam para se tornarem um padrão. O que isso implica para fotógrafos e artistas visuais?





É óbvio que sou suspeito para falar disso. Desde maio passado mergulhei de cabeça nesse universo e estou envolvido no fomento da fotografia NFT no Brasil. Até recentemente colaborei em uma matéria da Fotografe Melhor sobre o assunto. Mas antes preciso dizer: em 2018 (alguém ouvia falar de NFT naquele tempo?) eu falava que a tecnologia envolvida nos NFTs seria como um negativo digital. Algo que devolveria o valor para a fotografia digital. Dito e feito.




Quem me conhece sabe que sou de me aprofundar nos assuntos e também tenho um talento de trend hunter (de caçar tendências). E para mim, está bem claro que o NFT vai dominar o mercado. Só que ao invés de dizer isso só por dizer...prefiro trazer argumentos com base em indícios.


O que são NFTs? São ativos digitais únicos. Pode ser uma foto, vídeo, música...até mesmo itens físicos estão sendo vinculados aos NFTs. A tecnologia para cria-los é o blockchain, a mesma das criptomoedas. Na prática, uma foto NFT é autenticada, com procedência e dando posse ao seu comprador. Com a garantia de um contrato inteligente que garante transparência e segurança para o artista e o colecionador/comprador. Trata-se de uma foto única mesmo sendo digital e que está com os direitos garantidos pelo contrato inteligente. Isso quer dizer: o fotógrafo recebe comissão em vendas futuras e tudo está registrando pela tecnologia.


Os argumentos na sequência não seguem uma ordem de importância, mas todos são relevantes. Vamos aos pontos. Todos eles conectados com a possibilidade de massificação, da adoção em massa:





Onde ver NFTs? Samsung e LG já contam com tevês smart com plataformas para mostrar, explorar e comprar NFTs. Isso representa um salto na possibilidade de mais pessoas conhecerem e se interessarem pela tecnologia. No horário nobre da tevê brasileira aparece propaganda das tevês smart da Samsung (The Frame e NeoQled 8K) dando destaque para NFTs e para ver obras em casa em telas de altíssima qualidade. Normalmente essas tecnologias chegam em tevês mais caras, mas é questão de tempo até estar disponível em modelos mais populares.


Smartphones Samsung já também estão de olho nessa tendência e a Apple começou a disponibilizar NFTs com parte da experiência na App Store.





Como pagar? Mastercard não para de avançar em direntes plataformas online e marketplaces NFT para que as pessoas possam comprar os ativos digitais únicos sem precisar de criptomoeda. Isso é importante pois vai ajudar a facilitar o processo de popularização e retirar barreiras para novos entrantes com a tecnologia. Sejam eles artistas e principalmente compradores. Mais sobre isso aqui: Mastercard simplifica a compra de NFTs





Como compartilhar? A verdade é que Twitter, Instagram e Facebook já estão com os NFTs dentro de suas plataformas. Os colecionáveis digitais estão visíveis no Brasil para todos nós e muitos artistas já podem compartilhar seus NFTs tanto no Instagram quanto no Twitter (na versão paga). Estamos falando de 2.5 bilhões de pessoas com acesso hoje aos NFTs considerando só essas duas redes sociais (de massa). Um exemplo de aplicação seria esse: Twitter permitirá que usuários negociem NFTs através de mensagens (obrigado pela dica Dani Romanesi)





Onde comprar? Além de comprar na tevê da Samsung, as plataformas avançam em redes sociais: Instagram por exemplo. Hoje existem mais de 240 marketplaces NFT e isso mostra um pouco da dimensão desse mercado. Ainda assim, comprar NFTs não está só nesses lugares. Algumas das maiores empresas do mundo estão conectando produtos e serviços com a tecnologia. Desde NFL até Apple. No caso da fabricante dos iPhones a novidade chega na App Store (com ressalvas) - Apple confirma que irá permitir inclusão de NFTs em loja de aplicativos, mas há um porém





Integração e tecnologia? A Adobe acaba de anunciar passos importantes na direção da integração de imagens, autenticidade e NFTs e também um olhar para o metaverso. Veja mais aqui: Estamos falando de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo com milhões de assinantes entre eles fotógrafos e videomakers. A Adobe fez uma aquisição recente de uma empresa de tecnologia também de olho na colaboração e com possíveis integrações para os NFTs nesta parte. Em tempo: Behance (comunidade Creative Cloud) já conta com suporte para NFTs. Câmeras Leica e Nikon que serão lançadas em 2023 terão o sistema CAI de autenticação de imagem e isso deve se estender para outros modelos e deve também se conectar com NFTs de alguma forma. Será que veremos a chegada da tecnologia direto nas câmeras algum dia? Veja mais sobre isso aqui: O que as novidades da Adobe indicam sobre o futuro da criatividade com ferramentas de imagem? - YouTube







A nova fase da internet? Muito se fala em web3, mas na prática falamos disso na mesma internet de sempre. Logo, se existe algo puxando a nova fase da internet é o NFT. Os ativos digitais únicos avançam porque marcas como Nike, Disney, Tencent, Starbucks, Prada, Gucci, Time, Meta, Adobe, Sony e tantas outras gigantes. A Nike é hoje a grande líder na venda de NFTs inclusive: Por que a Nike está saindo na frente na batalha da Web3 - e o que isso tem a ver com a Netflix





Arte: MoMa anunciou que vai investir até 100 milhões de dólares no metaverso e possivelmente adquirindo NFTs como parte da sua coleção. A medida é polêmica... Museu de Arte Moderna de Nova York vai vender quadros famosos para financiar a compra de NFTs


Falando em arte, também recomendo a leitura - Artistas brasileiros se rendem de vez aos NFTs





E a crise? Os NFTs tem 5 anos de história como termo e comparando com a história da fotografia está só dando os primeiros passos. Na minha visão, o avanço será gradual e sem volta. Nomes importantes da fotografia mundial já estão aderindo e isso ajuda nesse avanço. Sim, tivemos uma crise de valores no universo cripto, lembrando que isso já ocorreu em 2018 e agora ocorre de novo. Esses ciclos são naturais, a volatilidade é grande no universo das criptomoedas. Nunca tivemos uma fotografia que estivesse atrelada a uma moeda em tempo real. E agora isso existe e abre possibilidades e ao mesmo tempo coloca tudo em perspectiva. Ainda assim, melhor do que a fotografia digital e sua tendência de valor zero como ocorre com tantas áreas da profissão. NFTs serão ‘tão disruptivos’ no futuro quanto o bitcoin, afirma executivo de corretora cripto





Desafios? A ideia de que NFTs são nocivos e modinhas. NFTs não fazem mais mal para o meio-ambiente. Já que a principal rede mudou a tecnologia reduzindo o impacto em 99%. NFTs não são esquemas de pirâmide, mas sim uma forma de investimento em que a arte pode e vem fazendo parte. A utilidade dos NFTs como formas de autenticar membros estão sendo usadas para ingressos de jogos, shows e clubes de fidelidade. Até a Warner lançou o filme O Senhor dos Anéis em NFT. Warner Bros. lança NFTs de Senhor dos Anéis e experiência Web3


O grande desafio é o NFT ser mais integrado e se tornar um padrão de fato. Assim como aconteceu com a internet ou mesmo a fotografia digital. Não é difícil imaginar o seguinte: em uma nova fase da internet, fotografias são todas 100% autenticadas e nenhuma pessoa pode copiar e salvar. Com a internet das coisas mais presente com 5G, câmeras e equipamentos terão como conversar e veremos a fotografia digital autenticada como um padrão. Neste caso, os NFTs nem serão mais relevantes, pois será um padrão. Como assim? Imagine sua câmera (smartphone ou mirrorless) criando a imagem e o equipamento registrando em tempo real sua imagem na blockchain. Será como criar um NFT a cada clique. Imagens protegidas que quando compartilhadas terão bloqueios contra "prints" e afins. A foto só poderá ser usada se o autor assim o quiser, e receber para isso. Algo que estará presente em redes sociais (lembra do Twitter e Insta) e integrado com plataformas em geral. Como vamos nos comportar em um mundo assim é coisa para esperar e ver.


Se você quiser entender e começar a fazer parte deste universo de valor da fotografia clique aqui: NFoTo - NFT para Fotógrafos(as) ao Vivo Dia 1° de novembro.


Você também pode fazer parte agora da comunidade (paga) NFoTo clicando aqui: Eu Quero Fazer Parte do NFoTo





0 comentário

Comments


bottom of page