top of page

O que mudou no marketing da fotografia?

Em quatro anos muita coisa aconteceu. Que tal um olhar rápido sobre isso para você refletir comigo sobre o tema


Março de 2020, naquele mês tivemos um grande baque que virou tudo de ponta cabeça. A pandemia transformou a fotografia e o mercado. De lá para cá o marketing também mudou muito. Naquele ano, durante a quarentena, lancei o primeiro (e até hoje único) livro de Brasil sobre marketing para fotógrafos. Hoje o livro faz parte da oferta junto com o Plano de Marketing, o fato é que precisamos falar sobre o mudou e te convidar a refletir sobre esse assunto.


Decidi destacar por temas dentro do próprio composto de marketing:


Posicionamento de mercado - a base de uma boa estratégia sempre comçou com um olhar para dentro. Claro, observando também a concorrência, o ramo e sobretudo o comportamento dos clientes. De 2020 para cá as pessoas ficaram com mais pressa, mais digitais, mas ao mesmo tempo estão levando mais tempo para decidir e comprar. Talvez porque é tudo muito corrido, quem sabe porque existem muitas opções...ou até porque temos um impacto econômico e muita gente não quer gastar fácil (especialmente com fotografia). Logo, notei que fotógrafos buscam resultados rápidos e sem pensar nesta parte do posicionamento de mercado com cuidado.


Irônico pensar que posicionamento é deixado de lado na escolha pela rapidez e na preferência por truques e táticas que são vendidas como estratégias. O que explica muito dos problemas que vemos hoje por aí. Ter uma missão muito sua e aplicar sua identidade e aquilo que você acredita de fato para te representar no marketing se tornou uma necessidade quatro anos depois.


Posicionamento em 2020 era a base e em 2024 continua sendo. A diferença é que agora a competição é mais rápida e os resultados mais lentos. Quem consegue se destacar está atuando de forma sofisticada, trabalhosa e não só dependente das redes sociais e do marketing digital.


O que nos leva ao próximo ponto:


Divulgação - O P de promoção mudou muito de 2020 para cá. O que mais acelerou foi a questão dos vídeos rápidos e quem não tem uma presença com essa parte vai ficando esquecido nos canais digitais. Contudo, a grande mudança mesmo foi a perda de relevância e alcance das redes. O que mudou em quatro anos: sai a influência vazia, entra em cena a comunidade de clientes/fãs verdadeiros. Isso eu abordei aqui >>> As redes sociais morreram? Como se adaptar ao novo marketing na fotografia (enfbyleosaldanha.com)


A divulgação em 2020 usava o poder das histórias e hoje também. A diferença é que agora as coisas ocorrem para grupos (sejam eles online ou não) e um trabalho híbrido que envolve relacionamento, indicação e presença consistente. Em 2020 o destaque era vídeo, em 2024 também. A diferença é que agora tem mais gente fazendo isso tentando truques ou com conteúdo vazio...o resultado a gente sabe muito bem.


Isso acaba se conectando diretamente com o próximo ponto:


Consistência é presença. Isso valia em 2020 (aparecer para quem importa) e agora é até mais importante. Ficou mais difícil aparecer em 2024 porque muita gente não fazia nada 4 anos antes e começou a atuar com mais força por conta da pandemia. Por mais que falem por aí que "o seu conteúdo é ruim" a verdade é que não tem como todo mundo conseguir aparecer da mesma forma. Muitos inclusive gastam para impulsionar e ainda assim não conseguem nada. Algo que tem relação direta com a estratégia, posicionamento, consistência e especialmente a falta de um produto. Presença não é só digital. Exposição fotográfica é presença física que gera autoridade e até notabilidade digital...só para mostrar um exemplo de aparecer com presença que não envolva só coisas online.



Marketing é repetição. Isso valia em 2010, 2020 e vai valer em 2030. A diferença é que agora você precisa combinar esforços híbridos (físicos e digitais) e pensar além só do online. Sempre respeitando os itens anteriores. Especialmente a estratégia com posicionamento.


Em 2020 produto importava, em 2024 importa tanto quanto...só que agora temos elementos tecnológicos inusitados. Tokenização por exemplo, ou produto figital. Em um mundo tão online e com todo mundo segurando smartphone, ter algo para entregar que é tangível e gera emoção...ganhar outra dimensão de valor.


Produto em 2020 era sobre personalização e agora também. A diferença é que agora tem elementos de colaboração que misturam tecnologias que estão mais populares. Como por exemplo realidade aumentada (com música no álbum, vídeos) fruto justamente da pandemia.


Enquanto isso vemos fotógrafos esquecendo da importância do produto. Isso era verdade em 2020 e segue assim em 2024. Fotógrafos esquecem que só a foto não é produto. Que é possível fazer tudo com impressão, mais que isso...que o produto mesmo sendo 100% digital deveria ir além de "pacote x". Aliás, um problema que continua: vender produto/serviço com apelos racionais em um mercado que depende 100% de emoção, vaidade e status.


E por fim, em 2020 preço era um desafio...em 2024 parece até mais desafiador. Preço é marketing e conta uma história. Fotógrafos seguem contando a pior história possível (de que só o preço em si vai resolver o problema).

Faltou uma parte super importante de algo que não tínhamos em 2020 e agora temos: a IA generativa. A inteligência artificial é uma revolução no marketing. É como um assistente ali do seu lado. Que te ajuda no marketing de conteúdo, design, criatividade, produtividade e muito mais. Eu uso e vejo clientes usando a IA no marketing de forma efetiva. As desculpas de "não sei fazer marketing" estão acabando. Em breve ter IA no marketing e na fotografia será obrigatório como ter um site e presença nas redes sociais. Quem é membro Fotograf.IA já viu isso em conteúdo exclusivo.


O marketing é importante em qualquer momento. Algo que valia 20 anos atrás e que hoje segue crucial. Você precisa de marketing para valorizar sua marca, contar as histórias, ser reconhecido, mudar comportamentos, deixar um legado, cobrar mais, atrair e manter clientes. No fim das contas, fazer o marketing é dar a oportunidade real de que os clientes que você tanto quer conheçam o que você faz, venham até você e que fiquem por perto sempre. Se você quer viver e continuar na fotografia você terá que fazer marketing dia sim, dia também. O marketing mudou em quatro anos e vai continuar mudando. Espero que você mude junto e se beneficie disso na sua fotografia.


Aliás, se você quer ajuda para planejar e executar o seu marketing na fotografia, eu tenho duas dicas para você:



0 comentário

Comments


bottom of page