top of page

Autenticidade: a palavra que vai ditar o marketing em 2023


Relatórios de institutos e estudos de tendências indicam o que é autêntico como o principal elemento para o marketing em 2023. E na fotografia isso estará ainda mais presente


Recentemente fiz um post sobre a Phenomena, agência fotográfica e de conteúdo visual para marcas de luxo. O principal apelo: autenticidade.


Em 2021 e 2022 a fotografia blockchain também se destacou nesse ponto. O que é autêntico e é escasso tem mais valor.


Essa tal autenticidade não está nos outros e nem em referências por aí. Ela está naquilo que o negócio de fotografia tem de muito específico para oferecer. No caso de um fotógrafo isso representa a batida expressão "identidade visual" ou assinatura fotográfica. No caso das marcas, aquilo que ela apresenta de mais único, com a cara dela.


Já abordei isso antes e outros colegas também falam disso. O tal propósito que é abordado no livro "Comece pelo porquê". O livro de Simon Sinek mostra que as referências começam nisso e não no "o quê?" Ou "como?". O exemplo é simples: o que você faz (fotografia) todo mundo faz também. Como você faz também, já o que te move...


Muita gente não entende isso e até tira sarro. Ah, eu não sou escravo de propósito, eu trabalho para pagar minhas contas e ok. Eu sou um prestador de serviços e meu negócio é clicar e só. Até entendo isso, o problema é que o mercado não está cheio de gente pensando assim. Aliás, isso é problema ou oportunidade? Para quem encontra esse caminho e se propõe a algo distinto certamente é uma vantagem em um ramo cheio de "mais do mesmo".



Status, afiliação e tensão.


3 pontos que se misturam no marketing moderno segundo Seth Godin. As melhores marcas costuma trabalhar bem isso. Annie Leibovitz trabalha bem isso.


Status / ser fotografado por ela é sinal de poder. Coisa de celebridades, personalidades reconhecidas globalmente.


Afiliação / o grupo de pessoas fotografadas por ela é restrito. São pessoas influentes que podem dizer e mostrar isso com a foto feita por ela.


Tensão / ela cria tensão por não fotografar para todo mundo. Recentemente até saiu uma matéria falando disso. Que Annie escolhia com quem trabalhar e isso gera tensão. No fim, tem um lado de poder nessa dinâmica. Curiosamente, anos atrás Annie fotografou a rainha da Inglaterra e tomou invertidas da rainha. Neste caso o poder (status) era muito maior para quem?



Pegue o exemplo acima e encaixe o que quiser. Adobe, Apple, Canon e outras marcas famosas trabalham bem todos os elementos acima.


Você não tem a nova mirrorless? Está fora do nosso grupo


Você não tem a assinatura do nosso programa de edição? Você está fora da comunidade de profissionais


Você não tem esse novo smartphone top de linha? Você não está na mesma tribo que eu


E por aí vai. O que isso tem a ver com autenticidade. Tudo, o marketing bem feito se vale do que é autêntico trabalhando estas forças simultaneamente. Marca (negócio) autêntico combinando com status + afiliação + tensão.



Reflita sobre isso e avalie primeiro como você pode ser mais você. E colocar isso no marketing da fotografia.


E se precisar de ajuda com isso conte com o Plano de Marketing 2023.



0 comentário

Comments


bottom of page