top of page

Adobe lança ferramenta de inteligência artificial para gerar e editar imagens




Adobe lança IA generativa Firefly, que permite aos usuários digitar para editar imagens. Modelo gera imagens com base no banco de imagens próprio da Adobe respeitando artes de outros artistas disponíveis na internet


Adobe lançou nesta última terça-feira (21) uma ferramenta de inteligência artificial chamada Firefly. Com ela os usuários digitam comandos para modificar rapidamente as imagens.

O primeiro modelo Firefly é focado na criação de imagens e efeitos de texto. Um vídeo de exemplo da Adobe incluiu uma demonstração do produto para uma opção "Gerar variações", por exemplo. Ao destacar um elemento em uma obra de arte multicamada – um farol, no vídeo de demonstração – o Adobe Firefly usa IA para gerar diferentes versões do farol.





Em outro exemplo, a Adobe mostra como se pode tirar uma foto de uma cena de verão e digitar "mudar cena para dia de inverno" para alterar a imagem sem qualquer edição pelo usuário.





O Firefly também pode alterar automaticamente a foto ou imagem em que um usuário está trabalhando usando IA generativa para criar um pincel com base em algo que já está em uma imagem.


O novo produto da Adobe vem em um ponto de inflexão importante tanto para a Adobe quanto para a IA de forma mais ampla. A empresa gastou US $ 20 bilhões para adquirir a ferramenta de design Figma em setembro e disse na época que integraria recursos de outros produtos ao Figma. A Adobe disse que o Firefly será lançado primeiro como um beta privado.





O investimento em IA acelerou desde a estreia do ChatGPT da OpenAI. A OpenAI e a Stable Diffusion, outra organização de IA, oferecem produtos de imagem de IA generativos.





Novas ferramentas de IA têm lutado com preocupações éticas. Para o ChatGPT e produtos similares, essas preocupações lidam com a propensão dos modelos a "alucinar" informações plausíveis, mas imprecisas.


Para a tecnologia de imagem, como DALL-E ou Stable Diffusion, foram levantadas preocupações sobre os modelos roubarem o conteúdo do artista, regenerá-lo e apresentá-lo sem crédito ou permissão do criador.


A Adobe disse que a Firefly enfatizará dar aos criadores "oportunidades de se beneficiar de suas habilidades e criatividade e proteger seu trabalho". A empresa já oferece plataformas não-IA que fazem isso. Na prática, isso representa criar imagens com base no acervo da própria Adobe e remunerar os artistas que estão na plataforma com isso. Uma bela iniciativa bem diferente do Stable Difusion por exemplo, que usa imagens de artistas na internet sem autorização.


Em tempo: participe da Conexão NFoTo. De 3 a 7 de abril. Saiba mais aqui >>> Conexão NFoTo: o caminho para a nova fase de valor da fotografia







0 comentário

Comments


bottom of page