top of page

Remini lidera na App Store, mas segue causando polêmicas

App bombou por conta do TikTok e segundo especialistas o comportamento dos mais jovens é o que está puxando a popularidade da aplicação com IA




Remini lidera a App Store com seus “AI headshots” virais, mas suas edições corporais vão longe demais, dizem alguns. O Threads do Instagram perdeu sua posição no topo da App Store graças a um aplicativo de edição de fotos com IA chamado Remini que está viralizando no TikTok1. Lançado pela primeira vez em 2019, o aplicativo adicionou um recurso de IA generativa no ano passado que os usuários do TikTok descobriram recentemente que permite criar headshots profissionais para sites como o LinkedIn apenas fazendo upload de suas próprias selfies.


Em um vídeo do usuário do TikTok @Gracesplace, por exemplo, a criadora mostra como enviou selfies para criar um punhado de headshots com aparência profissional que a mostra em roupas e poses diferentes. O vídeo explodiu no TikTok, agora liderando com 42,9 milhões de visualizações.


À medida que outros replicavam sua experiência, a demanda pelo aplicativo de fotos com IA o enviou para a posição nº 1 na App Store dos EUA em 11 de julho, ultrapassando o Threads do Instagram apenas alguns dias depois que o popular novo concorrente do Twitter da Meta foi lançado, segundo dados da empresa de análise de aplicativos Apptopia. Nos últimos 30 dias, o Remini teve mais de 22 milhões de downloads em todo o mundo. A partir de ontem, a empresa estima que o aplicativo estava vendo mais de 20 milhões de usuários ativos diários.





Outra empresa de análise, data.ai, viu o Remini ultrapassar o Threads em 10 de julho. Nos EUA, o Remini teve 2.131.000 downloads nos últimos 10 dias em iOS e Android, segundo a empresa. De 9 a 15 de junho, a data.ai estima que o Remini gerou US$ 3.730.000 em gastos do consumidor, um aumento semanal de 1.055%. Na App Store dos EUA, o Remini tem uma classificação de 4,6 estrelas em 124.000 avaliações.


Para criar os headshots com IA, os usuários devem primeiro escolher entre oito e 12 fotos de si mesmos, incluindo selfies em close-up com uma variedade de fundos, expressões e ângulos faciais e depois selecionar seu gênero. Você escolherá uma imagem “modelo” que mostre o estilo geral e a composição das fotos que deseja gerar. Para gerar fotos profissionais, há várias opções disponíveis na subcategoria “currículo”, mas outros estilos estão disponíveis, como “tendência”, “viagem”, “casual” e o questionável “estética coreana”, entre outros.


A IA levará vários minutos para gerar as fotos. Quando concluído, você pode deslizar para a esquerda e para a direita enquanto visualiza os resultados - semelhante a como você gosta ou não gosta de suas possíveis correspondências no Tinder.





Esse processo lembra outro aplicativo de fotos com IA que também viralizou no TikTok no ano passado: Lensa AI, que usava suas próprias fotos para criar “avatares mágicos” - ou representações artísticas das próprias imagens dos usuários. No entanto, esse aplicativo levantou alarme entre artistas que disseram que o aplicativo estava usando sua arte como dados de treinamento. Além disso, os usuários descobriram que podiam gerar imagens NSFW com a IA.


Assim como o Lensa AI, o aplicativo Remini também é gratuito para download, mas o uso de seu conjunto completo de recursos requer uma assinatura. Atualmente, está com preço de US$ 9,99/semana ou US$ 79,99 por ano. (Provavelmente, alguns usuários têm contornado o requisito de pagamento iniciando um teste gratuito, gerando suas imagens de IA e depois cancelando sua assinatura.)





Conforme a tendência dos headshots do Remini explodiu no TikTok, alguns usuários ficaram insatisfeitos com os resultados da IA do aplicativo. Muitas pessoas descobriram que o aplicativo estava fazendo ajustes indesejados em seus corpos nas fotos resultantes. Por exemplo, algumas mulheres observaram que o aplicativo as deixava muito mais magras enquanto outras perceberam que estava aumentando muito o tamanho de seus seios ou decotes.


“Tudo o que eu queria eram algumas fotos para o LinkedIn”, escreveu a TikToker @juliak528 em seu vídeo. “Por que a IA me deu um aumento nos seios”, dizia a descrição do vídeo, seguida por emojis chorando.


“Ninguém fala sobre o quão perigosa é essa tendência de IA para sua saúde mental e dismorfia corporal”, observou a TikToker @spookyhorrorqueen, comentando como a IA estava retornando fotos mostrando um corpo de tamanho diferente.


“O filtro viral de headshot da IA me fez parecer com 47kg e apenas… é ruim”, acrescentou outro criador, @northstarnotes, depois que as fotos da IA fizeram seu corpo parecer menor.

Outros, no entanto, disseram que estavam usando suas fotos “magras” de IA como motivação para perda de peso.


A Remini com sede em Milão não estava imediatamente disponível para comentar a matéria da Tech Crunch se estava trabalhando para corrigir os erros que a IA estava cometendo.


Após a publicação do site, a empresa compartilhou as seguintes informações: que viu 40 milhões de downloads de 2 a 15 de julho, para começar. Além disso, a empresa abordou os problemas com a IA, dizendo:


“Acreditamos que uma razão importante pela qual o Remini tem sido tão bem-sucedido é que ele dá aos usuários a capacidade de se reconhecerem verdadeiramente nas fotos geradas por IA. Embora saibamos que isso é verdade na grande maioria dos casos, em algumas ocasiões, os tipos de corpo nas fotos de IA não são uma representação exata do tipo de corpo do usuário - essa não é nossa intenção. Se isso ocorrer, incentivamos os usuários a tentar fazer upload de selfies diferentes ou experimentar com imagens de referência diferentes de nossa galeria. Orientados por nossos testes internos e pelo feedback de nossos usuários, estamos continuando a refinar nossa tecnologia de IA para minimizar as chances disso ocorrer.”





Há outras preocupações com o aplicativo também, já que alguns usuários acharam que os resultados da IA eram bons o suficiente para não fazer sentido pagar um fotógrafo por fotos profissionais - algo que fala das implicações mais amplas da tecnologia de IA facilmente acessível.


De acordo com o site da Remini, fotos geradas por IA de si mesmo não são o único ponto de venda do aplicativo. O aplicativo também pode ser usado para restaurar fotos antigas adicionando detalhes, melhorar a qualidade do rosto, melhorar as cores e tons das fotos, melhorar o fundo e muito mais. Na App Store, o Remini também promove que tem a opção de usar um filtro oficial da Barbie em suas selfies, para transformar suas fotos em imagens inspiradas no novo filme da Barbie.


Conclusão


Alguns usuários acharam que os resultados da IA eram bons o suficiente para não fazer sentido pagar um fotógrafo por fotos profissionais - algo que fala das implicações mais amplas da tecnologia de IA facilmente acessível. Com a popularidade crescente de aplicativos de edição de fotos com IA como o Remini, é possível que os fotógrafos profissionais precisem se adaptar e oferecer serviços mais especializados para se destacar em um mercado cada vez mais competitivo. Por outro lado, talvez muitas pessoas que estão tendo contato pela primeira vez com "fotos profissionais" podem se interessar por fotógrafos de verdade. Seja como for, vai caber aos profissionais mostraram o apelo da experiência e das vantagens em se contratar um fotógrafo profissional.


Se quiser entender e participar desta nova fase da fotografia conheça o NFoTo. Trata-se de uma comunidade com 100 membros e 50 horas de conteúdo até aqui que se conecta com as questões como essa da IA e inovação no mundo da fotografia. Faça parte clicando aqui >>> NFoTo: fotograf.IA, NFT e inovação


Se quiser ajuda com seu marketing conte com o Plano de MKT 2023.


Evento "IA na Fotografia". Dia 15/08 - Online e presencial >>> Novidade! Segunda edição do "IA na Fotografia" com mais vantagens! (enfbyleosaldanha.com)







0 comentário
bottom of page