Oportunidades e desafios para quem começa (ou recomeça) na fotografia

Pensando no Dia Mundial da Fotografia apresento uma reflexão sobre o que é atuar nesse mercado. Curiosamente as oportunidades estão diretamente conectadas com os desafios





Nesta quinta (19) é comemorado o Dia Mundial da Fotografia. Lembrando que é uma data para celebrar a fotografia como um todo e não só fotógrafos (e não estamos falando só também da fotografia profissional). Indo direto ao assunto, apresento aqui uma visão muito particular desse momento para as muitas frentes de atuação com negócios na fotografia.


Repare que cada um dos itens é ao mesmo tempo oportunidade e desafio:


1 - Nunca tivemos tantas possibilidades - Hoje dá para escolher em tantas frentes de trabalho e usar as mais variadas ferramentas e atuar em um mercado cada vez mais digital e ao mesmo tempo presencial. A promessa da junção desses dois mundos está cada vez mais próxima.


Oportunidade: criar serviços, projetos e produtos de forma inusitada

Desafio: conseguir não se perder no meio de tantas opções. E ainda evitar a copiação.


2 - Aprender e se desenvolver se tornou muito mais fácil. O conteúdo grátis e pago está em profusão e disponibilidade total. Seja online ou presencial, as chances de aprendizado nunca estiveram tão grandes.


Oportunidade: tem praticamente todo tipo de conhecimento disponível para todos os negócios da fotografia

Desafio: a curadoria e encontrar as coisas boas e saber distinguir e aplicar.


3 - Os segmentos/nichos de atuação nunca foram tão específicos. Dá para ser super nichado ou generalista. Aliás, tem gente que consegue fazer as duas coisas seguindo uma estratégia complexa. Mas hoje um empreendedor consegue criar para áreas que nem existiam direito até poucos anos antes.


Oportunidade: encontrar o nicho que quiser e até desenvolver novos segmentos.

Desafio: conseguir crescer em um mercado novo ou super nichado.


4 - A tecnologia evoluiu muito e segue avançando e se sofisticando. A fotografia é em todas as suas frentes frequentemente impactada pela transformação tecnológica e vai continuar assim. Daí a necessidade de aprender a ser adaptar sempre e estudar sempre.


Oportunidade: aproveitar novas tecnologias (ou até antigas) e se explorar ideias e projetos. E acima de tudo se posicionar com pioneirismo.

Desafio: Conseguir expandir com novidades tecnológicas e ao mesmo tempo seguir com áreas consolidadas para se manter de forma viável.


5 - A concorrência é difusa e ostensiva. Nunca tivemos tantas possibilidades e da mesma forma a competição é forte. Logo, saber lidar com isso é prioridade no sentido de que você hoje encara a pressão de preço e novos concorrentes cada vez mais presentes no cenário competitivo. Isso é especialmente verdade na fotografia profissional em que "virar fotógrafo" é supostamente fácil.


Oportunidade: a concorrência costuma olhar para as mesmas coisas e oferecer as mesmas ofertas e estilos. Ou seja, tem espaço para apresentar algo diferente.

Desafio: estamos em uma era em que a fotografia concorre com outras coisas além dos agentes desse mercado.


6 - Um mundo todo voltado para imagens. Todo mundo se comunica com fotos e vídeos e afins. Mas isso não quer dizer que a fotografia é o mais importante. Na realidade é mais um recurso que faz parte desse universo. Se tornou tão "comum" quanto texto em mensagens ou áudios enviados em apps de mensagem. A foto digital tem esse lado de abundância e isso não necessariamente quer dizer mais valor, na verdade pode ser o contrário (e só piora)


Oportunidade: ser um especialista de imagem respeitado é papel de quem se posiciona nesse mercado. E vale para qualquer segmento, mas isso pede "presença", consistência e comprometimento.

Desafio: conseguir aparecer em um mundo ruidoso justamente por ser tão cheio de imagens o tempo todo.


7 - O comportamento do consumidor se transforma. A fotografia na vida das pessoas é recurso, elas usam para se comunicarem e registrarem em tempo real. Algo tão rotineiro que para elas se torna até banal. Some a isso um cenário de crise pós-pandemia e temos o elemento complexo para adicionar valor como negócio de fotografia.


Oportunidade: encaixar uma oferta de valor emocional justamente pela fotografia ser um meio de expressão emotiva. Usando tecnologia, assinatura e capacidade de se vender como especialista sem tanto apelo racional.

Desafio: o consumo mais consciente questiona gastos desnecessários e que tenham impacto ambiental. Algo que as novas gerações estão levando cada vez mais em conta. O caminho de propósito e experiência autêntica nas propostas de valor serão fundamentais.


8 - Conversar, contar histórias e interagir em tempo real com perspectivas de mais evolução. A vantagem de quem atua nesse ramo é justamente lidar com histórias emocionais. Logo, saber usar esse recurso é questão fundamental.


Oportunidade: criar laços e estabelecer verdadeiras comunidades reais com as pessoas para que elas consumam como parte dessa conversa. Mas é mais sobre elas do que sobre quem "vende" algo para elas.

Desafio: Entender a nova dinâmica estonteante das redes sociais e plataformas para estabelecer esses elos de forma genuína e conseguir crescer de forma orgânica gerando essas conexões reais nas comunidades.


9 - A memória entra em questão. Como ficarão as memórias das pessoas, marcas e da sociedade quando tudo está na nuvem ou metaverso? Como participar de um mercado cada vez mais virtual em que inclusive a internet caminha para ser imersiva e tridimensional (marcas como Meta, Microsoftc, Adobe e outras gigantes de tecnologia estão desenvolvendo as bases para isso no futuro).


Oportunidade - ser um agente de memórias em que o impresso seja parte integrante mesmo que o online seja irresistível (NFT, por exemplo). Caberá a todos que atuam nesse mercado tornar isso parte da oferta sempre. Do contrário correndo o risco de tudo ficar digital completamente.

Desafio - conseguir criar uma oferta em que o que é físico e digital seja conectada nessa nova fronteira que se apresenta para os negócios. Aliás, marcas como a Nike e outras grifes de luxo estão fazendo isso justamente nesse momento.


10 - A fotografia no futuro. A verdade é que existem todas as fotografias possíveis hoje. Do analógico ao GIF ao NFT. A fotografia envolve tantas tecnologias disponíveis que chega a ser complexo explicar todas as suas frentes. O fato é que se o metaverso se confirmar no futuro...a fotografia será um elemento dentro desse universo 3D interativo e que poderá ser autênticado, o que já ocorre em termos em algumas frentes. Em um momento que o 5G começa a avançar no Brasil, veremos a internet presente de forma rápida e consistente e a velocidade das coisas (que foi surpreendente de 2015 para cá) ainda mais acelerada daqui para frente.


Oportunidade: a fotografia presente em uma nova fase da internet com valor e com procedência de origem. Valiosa mesmo sendo digital e com novas frentes de trabalho que nem imaginamos ainda.

Desafio: a promessa não se cumprir e a fotografia não se perder e ser engolida pelo avanço do vídeo e suas vertentes.


Para quem começa tudo está a um clique de distância seja em conhecimento, contatos e funcionalidades. E talvez isso seja muito impactante e ao mesmo tempo estimulante. Algo que aliás também vale para quem está recomeçando. Parece que por isso mesmo existe um movimento voltado para o crescimento mais orgânico, dentro de comunidades menores que vão crescendo aos poucos e em um ritmo mais humano, intimista. Essa é uma tendência que os jovens também estão liderando. Enquanto isso vemos pessoas na outra ponta em busca de alcance, curtidas, comentários e vendas. Dá para todo mundo ser influenciador/vendedor em qualquer segmento e área da fotografia?


O Dia Mundial da Fotografia celebra uma arte/tecnologia que segue se desenvolvendo e se sofisticando e ao mesmo tempo se adaptando. Ela só existe até hoje justamente por ter se adaptado, evoluído e se transformado nesses quase 200 anos de história. No fim, esse parece um bom roteiro para todos que querem atuar com ela daqui para frente.

0 comentário