top of page

Como fazer marketing na fotografia sem esquecer o básico

Dicas práticas para se comunicar com o seu público e se diferenciar da concorrência


Muitas vezes, nós fotógrafos(as) nos perdemos em vaidades e no ego, e esquecemos de algumas coisas lógicas que são essenciais para o marketing na fotografia. Neste texto, vou te mostrar de forma bem direta o que você precisa fazer para evitar erros e melhorar a sua estratégia. Vamos lá?

  • O marketing não é sobre você (a não ser que você já tenha uma grife). As pessoas querem saber delas e o que você pode oferecer de benefício para elas. Seus prêmios, sua câmera, sua fotografia…não necessariamente essas questões importam para quem contrata a fotografia. Foque na solução que você pode proporcionar para o seu cliente, e não no seu currículo. Atenção: não deixar sua experiência e trajetória de lado, só não coloque isso no centro do negócio.

  • Branding importa, mas não é só uma questão de estética. Ter um logo, uma rede social, um design e um site bonitos é importante, mas não é o suficiente. Você precisa transmitir em termos emocionais o que a sua marca representa e o que ela pode gerar de valor para o seu público. O branding cria um apelo sentimental e uma conexão com o cliente. Se você não tem isso, temos um problema!

  • Produto importa. E não é aquele que você quer empurrar para o cliente, mas sim o que ele precisa. Para entender isso, você tem que conhecer o seu público e conversar com ele para criar de acordo com a demanda. Algo que envolve deixar o seu ego de lado mais uma vez. Se você for uma grife, talvez não tenha que se preocupar com essa parte (embora nomes reconhecidos se preocupem também).

  • Se você não mostrar, não vai vender! Ou seja, tem que divulgar, tem que repetir, tem que ajustar e estar perto do seu público. E seguir com isso medindo os resultados. Só lembre-se que não é sobre você, mas sim sobre comunicar o que seus clientes querem ouvir.

  • Consistência e tempo. Não vai dar certo em 1 mês, na verdade vai levar muito tempo. Por que você acha que marcas famosas seguem fazendo marketing todo dia? Crie, divulgue, meça e ajuste. E mantenha o ritmo por tempo indeterminado.

  • Saiba quem você é! Parece bem óbvio, mas o que mais vemos por aí são fotógrafos copiando o posicionamento dos outros. Logo, são clones e ficam perdidos na estratégia do “Eu Também”. Defina a sua proposta única de valor e o seu diferencial competitivo. Mostre ao seu público o que você tem de especial e o que você pode fazer por ele.

  • Preço é uma história. E se você não sabe qual é essa história, vai acabar só vendendo preço baixo mesmo. Você precisa justificar o seu preço com base no valor que você entrega, na qualidade do seu trabalho, na experiência que você proporciona e na confiança que você transmite. Não se trata de cobrar caro ou barato, mas de cobrar o justo e o coerente com o seu posicionamento.

  • Digital é marketing, mas não é só isso. De nada adianta fazer tráfego pago se você não tem uma estratégia. Você vai acabar atraindo quem não tem interesse e os resultados não serão adequados. A tendência forte hoje é misturar o físico e o online, ter uma estratégia híbrida e que envolve o orgânico e o impulsionado.

  • Se você não fizer marketing, isso não quer dizer que ele deixa de existir. Na verdade, o marketing continua existindo, só que descontrolado. Você perde a oportunidade de gerenciar a sua reputação, de construir a sua imagem, de fortalecer o seu relacionamento e de aumentar as suas vendas.

  • Se você não for intencional com o marketing, qual o sentido? Marketing serve para vender uma ideia, ganhar reconhecimento, se posicionar. Seja intencional!


Espero que essas dicas te ajudem a fazer um marketing na fotografia mais eficiente e assertivo. Se você quiser ajuda com o seu marketing na fotografia em 2024, conte com o Novo Plano de Marketing 2024 >>> [Plano de Marketing 2024 | NFoTo]




0 comentário

Comments


bottom of page