Vida de Fotógrafo(a)?

Eu vi uma provocação sobre a vida dos artistas e pensei que para fotógrafos também vale a mesma coisa...



O ano de 1986 não foi só da estreia do filme "Curtindo a Vida Adoidado". Naquele tempo o marketing era completamente distinto do que vemos hoje.


Nada contra redes sociais, aliás eu vivo delas como você. Estou presente digitalmente no YouTube, Instagram, TikTok, Twitter, Spotify, WhatsApp, Face e ainda tem minha presença aqui com o site e talvez tenha deixado alguma ferramenta de fora.


Já fiz enquetes antes e a resposta quanto a isso por parte dos fotógrafos foi: "mal necessário".


Como era o marketing em 1986? Tinha rádio, tevê, as revistas impressas, jornal. E tinha outdoor e lista telefônica. Era bem mais caro fazer marketing naquele tempo? Creio que sim, até porque você não conseguia medir direito. A frase famosa: sei que metade da minha verba em marketing é desperdiçada...só não sei qual metade que funciona.





Em 1986 não tinha smartphone, computador e não tinha nada disso. A fotografia não era na hora, era analógica. Aí eu retomo a fatia do gráfico daquele ano. Será que as pessoas eram mais felizes? Curtiam a vida adoidado?


O marketing naquele tempo era mais inacessível e um fotógrafo tinha que contar com relacionamento e trabalho consistente. E paciência. Poderia fazer uso de malas-diretas (enviar cartas) e fazer uma abordagem mais de guerrilha. No fim, dependia de contatos presenciais, indicação e networking realmente eficiente.


E em 2022?


Hoje existem ao menos uns 80 tipos de marketing sem falar das redes sociais. Tem email marketing, tem vídeo marketing, tem Google e por aí vai.


E nesta semana Twitter e Meta (donas do Face/Insta) mandaram muita gente embora. Por quê? Talvez a promessa de que o mundo pós-pandemia seria cada vez mais online não se cumpriu como se imaginava. Pelo menos não ainda. Importante destacar que milhões de brasileiros sequer acessaram pela primeira vez a internet. Esse povo vai entrar e consumir.


Mas de qualquer forma faz a gente pensar: ué, cadê essa força toda do mundo online com esses anúncios de demissões recentes?


Se mais pessoas entram na internet, mas todo mundo quer vender temos aí uma situação complexa? Deve ser por isso que cai o alcance. Não que não existe espaço para ter resultados. Aliás, existe sim e vejo isso na prática.


Em 2022 e daqui para frente creio que será fundamental o MODO EQ. De equilibrar o mundo online e real e coordenar seus esforços combinando marketing, fotografia e tecnologia. As pessoas enfim, estão conectadas o tempo todo. >>> Está na hora de acionar o modo EQ para fotógrafos(as) profissionais


Só que antes tem outra questão. É aí que entra um olhar para dentro. Refletir e repensar a parte do marketing. Repensar a estratégia parte do pressuposto que você tem algum objetivo. Se você não tem isso é um problema. E quanto mais específico melhor.





E em 2023?


O lado híbrido do mundo é uma tendência sem volta. As pessoas tiram sarro do metaverso, mas estão coladas na tela do smartphone o tempo todo (você está lendo esse texto assim provavelmente). E criticam o "metaverso" enquanto estão nas redes sociais...vai entender.


O que espero é que você pense em você, olhe para o seu marketing e trace um caminho mais autêntico também com base no que acredita. Não existem fórmulas prontas para ter resultado na fotografia? Se fosse assim, todos teriam sucesso e todo mundo estaria bem. Curiosamente, as receitas prontas funcionam até certo ponto...e de repente a pessoa aplica algo dela, adapta e consegue resultados por conta de ter seguido sua intuição.


Em 2023 não dá para não ter presença digital. Não dá para não usar Insta e afins. Mas também não dá para ser igual ao coleguinha nesses ambientes e até na fotografia e esperar conseguir fugir dos problemas com preços.


O trabalho é seu, interno e se for bem-feito pode te ajudar a mudar o quadro. De novo, sem garantias em um mundo em constante mudança, mas ao mesmo tempo com muitas oportunidades.


Se você quiser fazer esse trabalho conte com o Plano de Marketing da Fotografia 2023. Saiba mais aqui: Seu Plano de Marketing 2023

0 comentário