Sotheby´s lança programa de Impacto Social celebrando o trabalho de Sebastião Salgado

Iniciativa ainda prevê baile de gala em parceria com a celebrada fotógrafa Anne Leibovitz como parte da divulgação e arrecadação de fundos para a ação que irá beneficiar o Instituto Terra





A Sotheby's apresentará sua iniciativa de impacto social neste mês de setembro com uma exposição celebrando o trabalho do documentarista brasileiro e ambientalista Sebastião Salgado. A exposição com vendas revertidas para a iniciativa acontece de 26 de setembro a 12 de outubro na sede da Sotheby's em Nova York e é gratuita e aberta ao público. No dia 28 de setembro, a primeira festa de gala da Sotheby, será co-presidida por ninguém menos que a fotógrafa e retratista de celebridades Annie Leibovitz.


Toda a ação serve para ajudar o Instituto Terra criado em 1998 por Sebastião Salgado e a esposa, Lélia. "É importante que usemos nossa plataforma e expertise para apoiar organizações como o Instituto Terra que têm uma preocupação compartilhada com a crise climática global e a visão para um futuro mais sustentável", disse o CEO da Sotheby's, Charles F. Stewart, em comunicado. Vale lembrar que esse é o foco frequente do trabalho de Sebastião Salgado, fotógrafo que conta com coleções permanentes no Centre Pompidou, no Instituto de Arte de Chicago e no Museu de Arte Moderna. Composta por 50 fotografias entre 1978 e 2018, a mostra da Sotheby's, Magnum Opus, tem curadoria de Lélia Deluiz Wanick Salgado. Marca a primeira mostra de pesquisa do artista nos EUA desde a década de 1990 e a maior mostra de fotografia solo da Sotheby´s.

O trabalho de Salgado reflete suas viagens a 120 países, bem como sua missão pessoal de documentar a desigualdade social e econômica. Suas fotos capturam, segundo o anúncio, "a interação entre a condição humana e o meio ambiente". Essa dinâmica intrigante é evidente em quatro ensaios fotográficos célebres exibidos na exposição. Goldmine (1986) narra a caça da fortuna e da liberdade dos trabalhadores brasileiros; Kuwait (1991) captura catástrofe ambiental; Gênesis (2004-2011) pesquisa questões globais, e Amazônia (2013-2019) retrata o cotidiano em 12 tribos indígenas.





"As fotografias da Magnum Opus realmente pesquisam as melhores e mais importantes imagens da carreira de décadas de Sebastião Salgado", diz Emily Bierman, vice-presidente sênior, chefe global de departamento da Sotheby's Fotografias. "Os visitantes da exposição encontrarão muitas das imagens icônicas e amadas, mas esta é a primeira vez que os espectadores as verão renderizadas como estampas de platina", acrescenta. "É uma experiência de visualização totalmente diferente e o epítome do melhor do meio."


Co-fundado pelos Salgados em 1998, o Instituto Terra plantou cerca de 3 milhões de árvores nativas da Mata Atlântica brasileira e revitalizou mais de 2.000 nascentes degradadas e ainda trouxe de volta 250 espécies animais ameaçadas de extinção.


A organização também forneceu inúmeros programas de educação em conservação ao público. A iniciativa de impacto da Sotheby busca promover o acesso, proteger o planeta e dar experiência à comunidade, disse a casa de leilões.


Toda a renda arrecadada com o evento irá diretamente para o Instituto Terra para continuar com seu importante trabalho, com o artista Sebastião Salgado — fundador da organização — lançando-se para doar todos os ganhos de sua exposição para a iniciativa em prol da Mata Atlântica.

0 comentário