O que a nova fase "TikTok" do Instagram oferece como desafio no marketing de negócios da fotografia?


"O ato de desaparecimento no Instagram". Foi assim que um conteúdo do Mailchimp recente em sua área educacional começou a chamada intrigante e provocativa.





Decidi colocar na íntegra abaixo pois cada detalhe desse artigo posiciona bem os desafios e transformações para o marketing digital no Instagram. O que o texto mostra é que quem não tiver uma presença nos vídeos rápidos não terá resultados daqui para frente. Ficando, como diz o título "invisível no Insta". Confira abaixo. Em tempo: é inegável o avanço dos vídeos rápidos e da força desse tipo de marketing e não é diferente para fotógrafos. Se quiser entender mais sobre o assunto então participe do TikTok para Fotógrafos, uma iniciativa do Clube do Marketing da Fotografia.


O Instagram foi uma parte fundamental da estratégia de marketing da Dinoski, uma marca de roupas ao ar livre infantil, até por volta de fevereiro deste ano, quando o co-fundador Will Chapman começou a notar algo estranho. O pós-engajamento e as impressões da marca caíram para menos de 20% do que tinham sido anteriormente – algo que continua desde então. "Temos 23.000 seguidores – o último post que fizemos teve 20 curtidas, em comparação com os 200 que teríamos antes." Ele não foi o único a notar uma queda no noivado.

"Ninguém poderia prever o quão catastrófico foi isso – vemos clientes com 90% de engajamento em todo o quadro", diz Aime Cox-Tennant, fundadora da consultoria de pequenas empresas Studio Cotton. "O verdadeiro poder do Instagram era o lado social, a interação e o contato repetido entre uma pessoa e uma marca. Esse retorno é tão diminuído agora porque você não pode alcançar as pessoas e construir essa relação.


Marcas deixadas cambaleando

O Instagram há muito se "vende" como uma ferramenta para pequenas empresas – e, por um tempo, isso se mostrou verdadeiro. O Instagram tem mais de 200 milhões de contas de negócios, e 90% dos usuários seguem pelo menos uma marca, com 70% dos compradores recorrendo à plataforma para procurar sua próxima compra. Mas o que Will, Aime e outras marcas estão experimentando é apenas uma aceleração de uma longa mudança no Instagram que está forçando as pequenas empresas a mudar sua estratégia – ou correr o risco de se tornarem invisíveis para o público que construíram.

A empresa de marketing de mídia social Later descobriu que o engajamento em posts de feed (foto e vídeo) diminuiu 44% desde 2019. O que aconteceu nesse meio tempo? O Reels foi introduzido em 2020 e o Instagram priorizou o recurso de vídeo – mais tarde descobriu que seu engajamento aumentou mais de 500% quando adicionou Reels à sua estratégia. Enquanto o Instagram tentou (e em grande parte falhou) para justificar a mudança para o vídeo há algumas semanas, o clamor foi forte o suficiente para que a marca disse que está revertendo algumas mudanças. Mas muitas empresas – queimadas por uma queda no engajamento que continua caindo – não estão esperando para descobrir o que vem a seguir.


Mude o canal

A partir daqui, as marcas estão se espalhando para novas plataformas e estratégias. Alguns estão indo para o TikTok, onde o uso inteligente de sons de tendências e conteúdo gerado pelo usuário catapultou algumas marcas para o sucesso viral (se eles tiveram a sorte de pegar a onda algorítmica). Will está transferindo recursos do Instagram de Dinoski para uma conta de WhatsApp empresarial, onde ele compartilha atualizações de produtos e outras ofertas para os principais fãs da empresa, e ele também está explorando posts patrocinados nas experiências da plataforma comunitária Nextdoor e Web3 – algo que ele diz que pode não ter feito se o Instagram não tivesse mudado. Martina Schwarz, fundadora da marca Blackmarket, colocou mais foco no LinkedIn, onde compartilha atualizações de negócios – 13% dos resultados de uma recente campanha de crowdfunding vieram da plataforma. Ela também está testando métodos de marketing há muito esquecidos – como postar um anúncio em seu jornal local. "O desempenho não era o que esperávamos, mas nos permitiu testar em pequena escala, onde o fato de não funcionar não era um grande problema", diz ela. Há também a opção de ficar – ou colocar os recursos extras para criar Reels, colocar ainda mais dinheiro em campanhas publicitárias ou focar em uma das outras áreas que o Instagram está priorizando. A estratégia no Instagram da marca de suplementos de saúde menstrual Guud é parcialmente focada no engajamento através do Stories e na atração de clientes em seus DMs – agora gerencia 60% do volume de bate-papo do cliente através do aplicativo. A Aime espera que a mudança faça com que os proprietários de negócios voltem a focar nos fundamentos do varejo online que têm um retorno muito mais consistente sobre o investimento, como um site atualizado, experiência clara do usuário, SEO forte e e-mail marketing. "É um pouco um alerta que não podemos confiar nesses canais, ou pelo menos canais onde não possuímos nossos próprios dados", diz ela.


Participe do TikTok para Fotógrafos(as) - Clube do Marketing da Fotografia


0 comentário