O fotógrafo que não gostava de postar

Troque "redes sociais" por negócio online para não ficar esquecido na competição por atenção





A máxima do que "não é visto, não é lembrado" é cruel. Porque mesmo sendo visto você não é mais lembrado. Isso porque tem muita gente postando e aparecendo ao mesmo tempo. E a entrega nos ambientes digitais é cada vez mais limitada. Talvez a resposta para isso seja porque tem mais gente na internet e querendo vender e aparecer.


Podemos definir os diferentes perfis de negócios de fotografia hoje...


Os que vendem porque tem indicação forte e isso ocorre naturalmente. Chegar nesse patamar é bem difícil.


Os que não vendem porque não tem indicação e porque não aparecem. Aqui podemos incluir quem está começando e os que se perderam no meio do caminho.


Os que vendem "mais ou menos" por inúmeras razões que vão da crise até efeitos da hiper competição e marca enfraquecida.


Os que vendem porque tentam de tudo...da geração de indicação até presença forte no online. Um processo desgastante.


E talvez ocorram cruzamentos entre todas as opções acima em diferentes escalas.


Muita gente sonha com receitas prontas e até as encontra e as aplica. Se todos seguirem a mesma receita e aplicarem alguém vai sair perdendo.


O caminho é individual e cada um deve buscar uma trilha muito pessoal nessa parte da divulgação. Algumas coisas são óbvias:


- vídeo é o que mais dá alcance em quase todas as plataformas. E isso sem gastar

- ter um site é parte importante da estratégia como "escritório online" seja para autoridade e para outros fins comerciais e de projetos.

- postar é fundamental. melhor trocar "redes sociais" por negócio online e temos que ter uma frequência ali...a que você puder lidar.


Dentro das métricas disponíveis no marketing digital...para fotógrafos a melhor delas me parece um contato direto e outro seria a indicação.


Dentro da ideia de que branding é melhor para fotógrafos do que marketing...estar presente construindo uma marca que gere emoções nos clientes então...é crucial.


E não estar em lugar nenhum entre TikToks, Insta e afins? bom, nesse caso você precisa ter uma marca tão valiosa que as pessoas virão até você. É esse o caso?

0 comentário