Foto+Pessoa: porque o produto só importa se for feito pensado para as pessoas




O marketing décadas atrás era 1.0. Ou seja, a ideia era só vender um produto com base em alguma ideia ou demanda de mercado. Pasmem, muitas empresas seguem trabalhando assim com foco só em "vender produtos". O marketing 4.0 que surgiu como termo cunhado pelo pai do marketing moderno (Philip Kotler) colocou as pessoas no centro de tudo que envolve o composto do marketing. O consumidor conectado é a base dos esforços. Pois mais recentemente Kotler redefiniu o termo para 5.0. O que na prática quer dizer: feito para cada pessoa de forma personalizada, usando tecnologia e dados, mas sem deixar de lado a experiência e dos valores humanos. A fotografia é um ofício emocional. Lidamos com emoções, memórias, datas importantes. Celebramos as coisas boas da vida: viagens, festas, momentos marcantes. Curiosamente vemos negócios de foto e fotógrafos batendo no racional. Trabalho com tal tecnologia, faço fotos em tal estilo, tenho essas conquistas, uso tal equipamento e trabalho dessa forma. Um apelo técnico também muitas vezes entra em cena. Faz sentido?


Em tempos de pandemia e sem previsão do que virá pela frente temos que reformatar nossos conceitos. Tudo mais humano, emocional e voltado para os sentimentos. Vaidade, autoestima, lembranças. E sobretudo, focar de verdade no protagonista de tudo o que fazemos: a pessoa atendida. São os clientes que devem orientar nossos esforços e isso vale para tudo. Especialmente quanto ao que vai ficar, o produto. Seja um álbum, foto na parede, um fotopresente criativo ou mesmo algo 100% digital (mas com alguma coisa diferenciada). Aliás, criar esses itens valoriza o serviço e deve no seu design com um olhar para história. Criar uma história para atrair para o seu trabalho e produto. Criar uma história para o que será entregue para aquela pessoa e usar a experiência desse cliente como uma nova história na próxima divulgação. Então sim, o Foto+Pessoal faz todo o sentido e esse conceito venho abordando nas turmas do Foto+Produto. O que ouço é que produto sem cliente não funciona. Na verdade talvez seja o contrário, cliente sem produto feito para ele é que me parece sem sentido. É uma nova mentalidade e que daqui para frente parece ser urgente como nova postura para viver da fotografia.


Dias 26 e 27 de maio tem nova turma ao vivo do Foto+Produto. Saiba mais aqui: FOTO+PRODUTO.