Estratégia e divulgação (ou vice-versa)

Recentemente perguntei no Clube do Marketing qual o principal desafio em relação ao assunto "atrair e manter clientes". Veja o resultado e vamos entender melhor esse tema





Estratégia e divulgação apareceram em primeiro lugar na lista da enquete do Clube do Marketing da Fotografia. Não é surpresa pois na prática enfrentamos isso diariamente: o que postar? como fazer? qual o tom? quais redes? E a parte da estratégia entra nisso como? Essa é uma parte importante já que a estratégia é o plano e está ligada ao objetivo. No fim das contas o que queremos é atingir algo.


Na rotina sabemos que temos que divulgar e o que tínhamos de objetivos dois anos antes mudou completamente. A verdade é que pode ter mudado de 6 meses para cá. A dinâmica do mercado e o momento delicado com crise estendida seguem com tudo.


A realidade é dura. Neste exato instante estão entrando novos fotógrafos com ferramentas que não existiam até poucos anos antes. E claro, na mesma medida tem gente saindo desse negócio para fazer outra coisa (dentro e fora da fotografia). O quadro é esse: confusão de plataformas, recursos novos a cada semana, mais competição e crise no meio de tudo isso.


Não temos a resposta para os fatores externos e a concorrência faz parte disso da mesma forma que o cenário econômico. A única solução é observar a situação, mas buscar a saída interna.


Daí voltamos para a estratégia, a base de um plano mínimo com muito espaço para ajustes semanais. Abordei isso na parte do marketing ágil. Temos que mudar sempre todas as ações e enquanto isso fazer um esforço para olhar para dentro.


Recentemente abordei com uma cliente a questão da sessão natalina. E mostrei o case famoso dos EUA de um fotógrafo que faz as crianças chorarem. Na verdade, os pais esperam isso dele. E tudo é perfeito, da montagem, cenários e as fotos são únicas com o apelo da sessão natalina do "desespero". O que o fotógrafo fez: pensou em oferta única e olhou para o mercado para oferecer o que não estava sendo atendido. Enquanto isso, vemos lá nos EUA e aqui o mais do mesmo para tudo. Da divulgação então nem se fala. o problema começa na base. A pessoa nem sabe a razão do negócio que dizer de uma estratégia. Curiosamente quando isso é bem-feito ajuda até na divulgação. Aliás, o fotógrafo norte-americano da sessão de Natal do choro esgotava suas sessões (6 mil) em questão de minutos. Com ajuda da mídia e do reforço de um trabalho que ele já fazia tinha um tempo.




0 comentário