Estes autorretratos divertidos mostram um lado raramente visto na arte do século XVIII


Joseph Ducreux, autorretrato intitulado "A Surpresa no Terror", c. 1790



Joseph Ducreux era um retratista francês que fazia as tradicionais pinturas comissionadas de figuras da época. Contudo, ele também criou autorretratos com poses lúdicas para praticar expressões dramáticas e também fisionomia. Nascido em 1735, Ducreux foi um proeminente pintor da corte durante o reinado do rei Luís XVI e Maria Antonieta, criando numerosos retratos da realeza no estilo tradicional reconhecido na arte clássica em pinturas. Já para quando era para fazer seus autorretratos era uma forma de experimentação e fugir do padrão. Interessante notar que as "selfies" já vinha muito antes da fotografia surgir. E depois com a chegada dos processos fotográficos também era uma forma de se expressar e criar arte. Autorretrato é arte e como vemos no caso do pintor Ducreux, também pode ser divertido.


Várias dessas obras estão em museus famosos como o Getty Center e o Louvre,onde se destacam entre outros retratos do século XVIII por sua abordagem descontraída e mais humana.


Self-Portrait, Yawning retrata Ducreux no meio de um grande bocejo com a boca aberta, um braço esticado sobre sua cabeça, e suas costas ligeiramente dobradas.






Autorretrato do Artista no Disfarce de um Zombador,mostra o pintor sorrindo e apontando para o espectador com um olhar cômico.


Outros autorretratos retratam o artista pego de surpresa de olhos arregalados e tentando ficar em silêncio.





Joseph Ducreux, Autorretrato intitulado "O Silêncio", c. 1790 (Foto: Wikimedia Commons

O próprio Louvre publicou as obras na internet para mostrar esse lado inusitado da arte clássica.


Veja também >>>> Precisando de ajuda com seu marketing? Então clique aqui: QUERO MEU PLANO DE MARKETING

1 visualização0 comentário