A visão da Canon sobre o mercado de câmeras

A fabricante foi destaque na imprensa internacional com um relatório com perguntas e respostas junto com os dados financeiros do trimestre





A informação saiu em mais de um dos grandes portais de notícia de fotografia internacional. E não é para menos, até por ser a maior fabricante de câmeras do mundo. A Canon disse que o mercado de câmeras está em baixa, mas que espera uma retomada para os setores "pro" e amador. As informações foram divulgadas em conjunto com os resultados financeiros referentes ao 2° trimestre de 2022. A marca incluiu um resumo com perguntas e respostas abordando justamente questões sobre o mercado de câmeras. Veja quais são:


Qual a perspectiva para o mercado de câmeras e se vai continuar atuando tanto nos equipamentos mirrorless e DSLR?


"o mercado de câmeras diminuiu, mas daqui para frente, esperamos que o segmento amador profissional e avançado se expanda ainda mais e que os produtos se tornem mais altamente desenvolvidos".

Dessa resposta podemos intuir que a marca vai tirar ainda mais o foco nas câmeras de nível básico para colocar os esforços nos modelos sofisticados premium (algo que já vinha ocorrendo na verdade).





Quanto às câmeras DSLR, a Canon diz que "continuará fornecendo produtos enquanto houver demanda".


Outra pergunta relevante: Qual é a sua perspectiva para o ambiente externo em 2023 e a sustentabilidade do seu crescimento daqui para frente?"

A Canon diz que "mesmo que a produção em todo o mundo se recupere sem problemas, provavelmente levará cerca de um ano para a inflação causada pela escassez de mercadorias, que surgiu de interrupções na cadeia de suprimentos etc., para diminuir naturalmente."


A inflação e os impactos na cadeia de suprimentos e produção dos dispositivos foi fortemente sentida nos últimos dois anos. E segue como um desafio que na resposta da Canon indica alguma melhora para 2023.


O fato é que o mercado de câmeras se transformou completamente nos últimos 12 anos. Em 2010 tivemos o pico das vendas pelo mundo com algo perto de 130 milhões de câmeras sendo vendidas naquele ano. De lá para cá caímos para menos de 10% disso. Em 2021 foram 8.3 milhões de unidades vendidas.





O que mudou em uma década? O avanço das câmeras premium, o sumiço das compactas e a dominação dos smartphones. Aliás, em 2021 foram 1.39 bilhões de smartphones vendidos e hoje é difícil um modelo novo que não tenha uma câmera com alguma qualidade. Nesse meio tempo as fabricantes de câmeras tomaram a decisão correta: apostando em um novo sistema (mirrorless) e nos modelos premium. A próxima fase das câmeras? Não sabemos e a única certeza é que mais transformações e mudanças virão por aí.



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo